Voltar

5 caminhos para reduzir a variabilidade do cuidado

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Combinar recursos apoiados em consistência e cuidados mais efetivos ao paciente é chave para melhorar este quadro agravante do País

Por Wilson Lemes

A variabilidade do cuidado está diretamente associada à ausência de padrão nos protocolos clínicos, se diferenciando não apenas entre os países, mas entre as regiões, bairros e profissionais, resultando em tratamentos muito heterogêneos. E é fato que este problema onera os recursos e ocasiona uma série de desperdícios. Sem falar que, atualmente, é uma das principais causas de erros médicos evitáveis. Por isso, o maior desafio da medicina neste cenário é fazer um diagnóstico situacional a fim de entender por que pacientes com quadros clínicos semelhantes recebem cuidados tão diferentes.

A combinação de recursos que se apoiam em consistência, padronização, novos conhecimentos e cuidados mais efetivos ao paciente é chave para melhorar este quadro agravante do País. Para isso, é necessário um conjunto de medidas que precisam ser adotadas em todas as clínicas e hospitais por todos os profissionais da saúde.

  1. Alinhamento

Sistemas de informações robustos combinados com análises avançadas podem ajudar na tomada de decisões mais assertivas e na obtenção de melhores resultados clínicos;

  1. Centralização do paciente

Promover a educação em saúde e o diálogo entre pacientes e médicos ajuda a criar níveis elevados de engajamento;

  1. Evidência

A aderência a recomendações e melhores práticas de assistência médica é apontada como protagonista no aprimoramento do processo e resultados na saúde;

  1. Conhecimento

O aprendizado constante e apoiado em conhecimentos médicos baseados em evidência deve ser aplicado em todo o processo de cuidado, estendido para a comunidade científica e até mesmo aos próprios pacientes;

  1. Cultura

A cultura motiva e mobiliza equipes de cuidados prolongados a adotarem uma filosofia centrada no paciente e a firmarem um compromisso inabalável com qualidade, segurança e eficiência.

Nesse sentido, os recursos de apoio à decisão clínica são primordiais para reduzir a variabilidade do cuidado, já que permitem comparar resultados da capacidade de ser acesso às evidências científicas atualizadas de forma simplificada e rápida, contribuindo para a tomada de decisão conforme os protocolos.

Isso minimiza as chances de eventos adversos durante a assistência multidisciplinar, não limitando o profissional a associar conhecimentos adquiridos durante os anos de experiência, proporcionando um atendimento individualizado, tendo em vista que alguma variação na prestação de cuidados é justificável. O objetivo que precisamos alcançar é acabar com a variabilidade injustificável, que expõe os pacientes a receberem cuidados que não precisam (Overtreatment e Overdiagnostic) ou deixar de recebê-los.

Wilson Lemes é Country Manager LATAM da Wolters Kluwer Helth, formado em Marketing, Negociação, Planejamento de Negócios, Dispositivos Médicos e Desenvolvimento de Negócios. O executivo acumula passagens por empresas como GE Healthcare, Nobel Biocare e O4B Consulting.

Saiba mais:

5 desafios do gestor rumo à maturidade de gestão hospitalar

Maturidade de gestão hospitalar: vídeos de destaque do canal GesSaúde

A contramão do quartel na governança corporativa da gestão hospitalar


1 de novembro de 2018 | Atualizado dia 1 de novembro de 2018


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão Hospitalar

Value-based Healthcare: estratégia para melhorar a qualidade e reduzir os custos

Conceito otimiza a gestão hospitalar fornecendo valor nos serviços de Saúde e ampliando a experiência do cliente Por Editorial GesSaúde…Leia mais.

Gestão Hospitalar

Resultado e profissionalização da gestão, este é o nome do jogo na Saúde

É o momento de os hospitais avançarem na profissionalização dos processos de gestão para enfrentar as transformações que estão ocorrendo…Leia mais.

Gestão Hospitalar

Telemedicina ganha novas aplicações na Saúde Pública

Especialista ressalta que o uso da tecnologia e a comunicação virtual já são usados em diversos países Por Editorial GesSaúde…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos