Voltar

Agilidade e Inovação na Gestão de Saúde

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Especialista apresenta principais métodos e técnicas para incorporar a agilidade na gestão: Scrum, Kanban e Lean

Por André Farias

A gestão de Saúde nos últimos anos está sendo revolucionada por métodos ágeis e inovadores. Eles são responsáveis por uma crescente melhoria na velocidade e na qualidade dos serviços prestados, além de intensificarem a motivação e a produtividade das equipes. Agilidade e inovação são características complementares e progressivamente estão ocupando mais espaço nos ambientes de tomada de decisão.

Na gestão de serviços de Saúde, sobretudo no atual cenário de recursos escassos e corte de gastos, estas novas práticas ganham ainda mais importância como ferramenta para enfrentar os desafios que surgem nesse contexto. Principalmente no setor público, onde os processos burocráticos, o excesso de reuniões e o retrabalho são endêmicos.

As metodologias ágeis envolvem novos valores, princípios, práticas, benefícios e se tornaram uma alternativa radical para a gestão no estilo comando e controle, uma vez que retiram os profissionais de seus silos funcionais para colocá-los em equipes multidisciplinares, autogeridas, com foco no cliente.

Dentre os métodos e técnicas para incorporar a agilidade na gestão destacam-se atualmente: Scrum, Kanban e Lean. O Scrum enfatiza o trabalho em equipe, criativo e adaptável, na resolução de problemas complexos. O Kanban se concentra na redução de prazos de entrega e na quantidade de trabalho no processo. A metodologia Lean foca na eliminação contínua de desperdícios.

O Scrum, ao envolver os membros da equipe de formações diversas como parceiros de colaboração, amplia a experiência institucional, constrói confiança e fortalece o respeito mútuo. Parte do princípio de que cada membro da equipe utilize as suas competências para atingir um objetivo em comum; empregando, desta forma, as melhores práticas para alcançar a alta performance. Com isso, este método aumenta a produtividade da equipe, a satisfação dos profissionais e minimiza o desperdício inerente às reuniões redundantes, ao planejamento repetitivo, à documentação excessiva e às falhas na qualidade dos serviços. 

O Kanban é uma forma de comunicação institucional baseada na visibilidade, na flexibilidade e na interação entre os profissionais. Baseia-se em quatro pilares fundamentais: (1) o trabalho em equipe, (2) a identificação e o desenho dos processos de trabalho, (3) constituição de formas e escalas de priorização, e (4) na medição da melhoria contínua. Ao contemplar graficamente e globalmente o processo de trabalho, o gestor consegue de forma mais fácil organizar e limitar a quantidade de tarefas em andamento ou inacabadas e, desta forma, priorizar atividades. Além disso, é possível detectar oportunidades de melhoria, não-conformidades, problemas ocultos, atrasos e falhas, inclusive na tomada de decisão; auxiliando a encontrar soluções mais eficientes para otimizar os processos.

A metodologia Lean é a permanente eliminação de atividades desnecessárias, de desperdícios e de ações de retrabalho. Situações presentes em grande parte dos processos dentro dos serviços de Saúde, que, ao serem otimizados, irão disponibilizar mais tempo e recursos para atividades de maior valor: segurança do paciente, qualidade do cuidado e excelência na assistência. Além disso, este conjunto de ferramentas permite aumentar a participação e a comunicação das equipes em todos os níveis da instituição, padronizar processos, potencializar fluxos e criar um ambiente favorável por meio de uma cultura de melhoria contínua.

Portanto, o gestor precisa ter maturidade para compreender como funcionam e como podem ser implementadas cada uma das metodologias ágeis em seus serviços e processos de trabalho. Particularmente no topo das instituições, é fundamental destruir as barreiras para as propostas inovadoras e evitar que as práticas convencionais de gestão prejudiquem os novos processos inovadores e ágeis.

Frente aos enormes dos desafios que o estado atual da gestão de Saúde apresenta, se torna essencial que os serviços e sistemas de Saúde errem menos, custem menos, desperdicem menos, entendam as reais necessidades de seus usuários, e sejam capazes de promover uma assistência à Saúde de excelência.

André Farias é médico com experiência em Gestão de Saúde, Consultor da GesSaúde, Co-fundador e CTO da FSL Governance, Mestre em Gestão de Tecnologias e Inovação em Saúde, possui MBA em Gestão Hospitalar e Especialização em Gestão de Saúde Pública.

Saiba mais:

De quem é a culpa da superlotação nos serviços de urgência e emergência

Santa Casa da Bahia melhora processos com a implantação do Lean Healthcare

Do papel ao digital: por que agregar inteligência nas receitas de medicamentos pode melhorar a qualidade no atendimento hospitalar

 


22 de outubro de 2018 | Atualizado dia 22 de outubro de 2018


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão Hospitalar

Value-based Healthcare: estratégia para melhorar a qualidade e reduzir os custos

Conceito otimiza a gestão hospitalar fornecendo valor nos serviços de Saúde e ampliando a experiência do cliente Por Editorial GesSaúde…Leia mais.

Gestão Hospitalar

Resultado e profissionalização da gestão, este é o nome do jogo na Saúde

É o momento de os hospitais avançarem na profissionalização dos processos de gestão para enfrentar as transformações que estão ocorrendo…Leia mais.

Gestão Hospitalar

Telemedicina ganha novas aplicações na Saúde Pública

Especialista ressalta que o uso da tecnologia e a comunicação virtual já são usados em diversos países Por Editorial GesSaúde…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos