Voltar

Como a maturidade da gestão hospitalar ajuda a melhorar resultados?

Focar no alinhamento de processos e na capacitação de gestores melhora o acompanhamento do desempenho e das metas

por editorial GesSaúde

Aprimorar a gestão de uma instituição de Saúde requer o desenvolvimento de cinco pontos essenciais: estratégia empresarial, governança corporativa, tecnologias de gestão, gerenciamento de processos de negócios e gestão de pessoas. Isto é, alcançar a maturidade de gestão hospitalar demanda uma construção de dentro para fora, que envolva não somente a aquisição de sistemas informatizados de gestão, mas a capacitação de gestores e colaboradores, com base em um plano estratégico, baseado em boas práticas de governança e bons processos operacionais.

Esse processo requer uma unificação e a sincronização entre os departamentos da instituição de Saúde, algo que, hoje, não ocorre em muitas instituições por questões culturais. Atualmente, foca-se no gerenciamento das unidades e desenvolvem-se as áreas de forma isolada, dando prioridade à aquisição de sistemas informatizados, sem que haja um entendimento completo de como utilizá-los de forma eficiente. A proposta, portanto, deveria ser visualizar a instituição como um todo, desenhando processos, identificando gargalos para, somente então, informatizar ou rever o processo de informatização, o que for necessário – de forma ampla e integrada.

Ao planificar os processos, a organização colhe benefícios tanto de desempenho quanto financeiros: maior eficiência operacional, redução do desperdício, maior integração entre as áreas, menos glosas e redução no ciclo de faturamento são alguns exemplos que vão implicar em melhoria do fluxo de caixa, melhor preparo e capacitação da média e alta gerência, acompanhamento de resultados mais eficiente e atividades alinhadas a estratégia, segundo Roberto Gordilho, diretor da GesSaúde. O especialista detalha cada um desses pontos na sequência:

  1. Processos mais alinhados: definir um plano estratégico que avalie se os processos estão adequados aos objetivos de eficácia, eficiência e qualidade e que permita identificar melhorias na operação é o caminho para que se encontrem gargalos e se possa saná-los para a instituição ter uma gestão mais forte e com os resultados em linha com o projetado.
  2. Melhor fluxo de caixa: uma gestão mais acurada dos recursos tem reflexo no caixa da instituição por influenciar na otimização de processos e serviços e permitir um controle maior sobre estoques e operações, uma melhora o giro de leitos e utilização mais otimizada da capacidade produtiva. Com isso, a tendência é de diminuição do ciclo de faturamento e das glosas, os quais, consequentemente, trazem melhorias à rentabilidade e ao caixa da instituição de Saúde.
  3. Gestores mais capacitados: investir em uma gestão madura envolve, necessariamente, a capacitação de pessoas (líderes e liderados), para que eles tenham visão holística das operações. Isso demanda aprofundamento nos conhecimentos sobre diferentes áreas do hospital, além daqueles específicos de gestão, como: finanças, faturamento, suprimentos, gestão de projetos, etc. Encontros com outros gestores de instituições de Saúde são uma importante via de troca de informações.
  4. Mensuração de resultados: acompanhar sistematicamente todos os processos da instituição é um ponto importante para mensurar os resultados alcançados e fazer as correções necessárias, caso haja necessidade. E isso se dá após a elaboração de um plano estratégico com mecanismos para o mapeamento de indicadores, que permitirão o monitoramento dos resultados. Uma das formas de otimizar esse acompanhamento é por meio de reuniões mensais, cujos líderes prestarão contas dos resultados de suas áreas. Esse tipo de metodologia cria uma cultura de acompanhamento de resultados em todos os níveis gerenciais e áreas da instituição.

Não existe caminho fácil, a maturidade de gestão hospitalar requer disciplina na busca pela melhoria constante, mas os resultados são alcançados e melhorados a todo instante e em todo o caminho.

Saiba mais:

Maturidade de gestão hospitalar

Maturidade de gestão hospitalar: reversão de fraquezas gerenciais

Maturidade de gestão hospitalar: como tornar a administração mais eficiente

Imagem: Depositphotos


30 de Maio de 2017 | Atualizado dia 30 de Maio de 2017


ÚLTIMAS POSTAGENS

Governança Corporativa

A contramão do quartel na governança corporativa da gestão hospitalar

Para vencer as batalhas cotidianas do setor de Saúde, equipes precisam de comandantes maduros por Anderson Freitas Sempre se fala…Leia mais.

Tecnologia de Gestão

Como o gestor deve encarar as inovações tecnológicas na Saúde?

Líder deve estar preparado e ter maturidade de gestão para conduzir a transformação digital por André Farias Com a evolução…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Como o jurídico pode participar e contribuir com a gestão de organizações de Saúde

Com intensa regulação do setor, departamento deve ter ação diferenciada e estratégica para fazer a diferença nos hospitais por Agnaldo…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos