Voltar

Em oito anos fecharam quase 1.800 hospitais no Brasil. Por que os hospitais estão morrendo?

Dossiê apresenta o atual panorama do setor com informações atualizadas e que mostram cenário desafiador para as organizações de Saúde

Por Editorial GesSaúde

Dossiê apresenta o atual panorama do setor com informações atualizadas. Foto: Pixabay

Você sabia que 1.797 hospitais privados fecharam no Brasil nos últimos oito anos? No período entre 2010 e 2018, o País perdeu total de 31,4 mil leitos. Os dados do relatório “Cenário dos Hospitais no Brasil 2018”, da Federação Brasileira de Hospitais (FBH) em parceria com a Confederação Nacional de Saúde (CNS), são uma pequena amostra do tamanho do desafio dos gestores de Saúde. E o fechamento dessas organizações tem impactado justamente aqueles que mais dependem dela: os pacientes.

Saiba mais sobre esse cenário baixando gratuitamente o dossiê “Desafios da Saúde: por que os hospitais morrem?

Com quase 7 mil organizações de Saúde, entre particulares, filantrópicas e públicas, e mais de 490 mil leitos, o setor hospitalar do Brasil concentra uma gama variada de especialidades médicas, experiências gerenciais diversificadas, além de movimentar uma fatia importante do mercado nacional – dos R$ 6,5 trilhões do PIB (Produto Interno Bruto), 9% são movimentados pela Saúde. Contudo, essas características destoam da realidade quando comparadas com os números de instituições que tiveram suas operações encerradas por falência.

Para se ter uma ideia, enquanto o SUS (Sistema Único de Saúde) ganhou 343 instituições, a Saúde Suplementar perdeu em torno de 260 hospitais entre 2007 e 2012, o equivalente a quase um hospital encerrando as atividades por semana. À medida que os insumos e serviços encarecem, os valores são diretamente repassados para o paciente, que deve ser visto também como cliente. E com o fechamento de organizações de Saúde, filantrópicas ou privadas, o impacto recai diretamente no sistema público.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a média de densidade de leitos no mundo chega a 3,2 para cada 1 mil habitantes. No Brasil, contudo, o número ainda está bem abaixo do recomendado: em 2018 a taxa registrada foi de 1,96 leitos por 1 mil habitante. Estimativa feita pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) aponta que cerca de 900 mil procedimentos cirúrgicos aguardam realização pelo SUS, já diagnosticados e com indicação médica – demora que impacta diretamente sobre o paciente.

Este dossiê é o resultado de uma pesquisa sobre a situação atual dos hospitais no Brasil onde entrevistamos diversos especialistas para traçar um cenário para entender porque tantos hospitais estão morrendo.

Esses e outros números sobre o setor você encontra no dossiê. Para saber as causas que tem levado os hospitais ao fechamento e como reverter esse quadro:

Baixe agora o Dossiê “Desafios da Saúde: Por que os Hospitais Morrem?”


31 de julho de 2018 | Atualizado dia 31 de julho de 2018


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão de Pessoas

Gestão de pessoas: como engajar profissionais de Saúde para o uso da tecnologia

Papel do líder é fundamental; treinamentos e capacitações antes, durante e depois da implementação são indicados por editorial GesSaúde A…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Organizações de Saúde são as mais impactadas por nova lei de proteção de dados

Advogado constitucionalista detalha os cinco principais impactos da legislação para hospitais por editorial GesSaúde Aprovada pelo Senado Federal no dia…Leia mais.

Gestão de Pessoas

Por que fazemos as mesmas coisas sempre e por que não aceitamos as mudanças!

Gestão de Pessoas com maturidade de lideranças pode melhorar o rendimento das equipes em uma organização de Saúde Por Anderson Guimarães…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos