Voltar

Hospital: computação cognitiva e inteligência artificial revolucionam atendimento

Tendência é considerada a próxima revolução da Saúde, fornecendo apoio tanto ao diagnóstico e tratamento quanto às operações de atendimento do hospital

por editorial GesSaúde

A transformação digital pede modernização das tecnologias de gestão dos hospitais. É necessário investir em ferramentas que sirvam de apoio à execução dos processos e entrega dos resultados, com o objetivo de oferecer atendimento de qualidade e se manter relevante no mercado de Saúde. Algumas são fundamentais, como um sistema de gestão (Enterprise Resource Planning – ERP), Business Intelligence (BI), analytics e big data. E outras já começam a se tornar um diferencial de mercado entre as organizações que as adotam, como a inteligência artificial e a computação cognitiva.

Hospital: 5 tecnologias de gestão essenciais na era da transformação digital

A primeira permite o desenvolvimento da segunda, que, a grosso modo, significa que o sistema consegue fazer associações como um cérebro humano e aprender com erros, dentro do contexto do machine learning (aprendizado de máquina). A tendência é considerada a próxima revolução da Saúde, porque adiciona maior capacidade e velocidade de processamento, fornecendo apoio tanto ao diagnóstico e tratamento quanto às operações de atendimento do hospital.

As aplicações são inúmeras. Na assistência, permite o desenvolvimento da medicina preditiva: cruza informações individualizadas dos pacientes – coletadas via dispositivos vestíveis (wearable devices) ou a partir de outras fontes – com histórico familiar, tendências de seu grupo de risco, entre outras informações, para verificar a probabilidade de desenvolvimento de doenças no longo prazo e sugerir medidas preventivas. Também aumenta o potencial e precisão dos diagnósticos, permite simular processos infecciosos e integra  protocolos clínicos, apoiando o médico em suas decisões.

Outra aplicação são os chatbots: “robôs” de atendimento ao usuário, que automatizam o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC). Funcionam como uma equipe de suporte 24/7, tirando dúvidas operacionais dos cliente acessando informações em tempo real sobre o relacionamento da pessoa com a instituição. Importante frisar que os chatbots não abrangem assuntos relacionados a tratamento, mas a dúvidas operacionais com a marca.

Adoção

Fica a cargo do departamento de tecnologia da informação (TI) apoiar a adoção da computação cognitiva. As ferramentas de TI são aliadas fundamentais na busca pela integração das informações. Mas antes de adquiri-las, deve-se planejar e entender de que forma cada inovação poderá ajudar a rotina hospitalar, de forma a não haver desperdício de recursos em soluções altamente inovadoras, mas que não impactam e otimizam as atividades cotidianas da organização.

Além do planejamento, é preciso ainda que as soluções disponíveis no mercado nacional passem por evoluções como melhorar a precisão das tecnologias (processamento de linguagem natural e de dados e tecnologias cognitivas); incrementar a precisão dos diagnósticos dos pacientes; e ter custos de acesso reduzido para viabilizar uma adoção em larga escala pelas instituições.

Saiba mais:

Tecnologias de gestão: passo a passo da migração tecnológica

Como implantar indicadores de desempenho no hospital

TI estratégica para evoluir a maturidade de gestão hospitalar

Foto: Depositphotos


30 de Janeiro de 2018 | Atualizado dia 30 de Janeiro de 2018


ÚLTIMAS POSTAGENS

Governança Corporativa

A contramão do quartel na governança corporativa da gestão hospitalar

Para vencer as batalhas cotidianas do setor de Saúde, equipes precisam de comandantes maduros por Anderson Freitas Sempre se fala…Leia mais.

Tecnologia de Gestão

Como o gestor deve encarar as inovações tecnológicas na Saúde?

Líder deve estar preparado e ter maturidade de gestão para conduzir a transformação digital por André Farias Com a evolução…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Como o jurídico pode participar e contribuir com a gestão de organizações de Saúde

Com intensa regulação do setor, departamento deve ter ação diferenciada e estratégica para fazer a diferença nos hospitais por Agnaldo…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos