Voltar

O papel do gestor na condução do planejamento estratégico do hospital

Líderes são essenciais para traçar metas e engajar funcionários a fim de alcançar resultados e evoluir a maturidade de gestão hospitalar

por editorial GesSaúde

Um dos pontos que devem ser levados em consideração quando se almeja evoluir a maturidade de gestão hospitalar – e, com ela, os resultados da instituição – é o uso das ferramentas de estratégia empresarial, em especial do planejamento estratégico. Para conduzi-lo e levá-lo a alcançar os resultados traçados pela organização de Saúde, o papel dos gestores é essencial. São eles, dos altos executivos aos líderes dos diversos setores do hospital, os principais responsáveis por garantir que toda a equipe esteja alinhada para atingir as metas, além de motivá-los para tal.

Hospital: saiba como elaborar o planejamento estratégico

De acordo com Aimar Lopes, coordenador dos cursos de pós-graduação em administração hospitalar e gestão da qualidade em organizações de Saúde do Centro Universitário São Camilo, a definição do modelo de negócios e o exercício de reflexão sobre o futuro do hospital são os passos iniciais para a implantação do planejamento estratégico e dependem diretamente dos altos executivos. “Dessa ação é que nascem os objetivos da organização. É preciso ter visão clara do papel do hospital e de onde ele quer estar no futuro, além do que é preciso fazer para alcançar esse patamar”, destaca o especialista. É nessa etapa que se definem a visão, missão, valores e objetivos do hospital, que irão nortear todas as demais ações em estratégia empresarial que serão realizadas dali para a frente.

Em seguida, o papel de destaque é dividido entre os gestores funcionais da instituição, que, conforme Lopes, devem elaborar os planos de ação voltados às suas áreas, sempre alinhados com a estratégia macro definida pelos altos executivos. “Nesses planos devem ser criados indicadores que irão possibilitar o alcance dos objetivos e também permitirão medir a evolução da equipe de cada área.”

Exemplos de indicadores que impactam diretamente no atendimento ao paciente é o número de dias de internação ou ainda de ocorrências de infecção hospitalar, que podem ser geridos e otimizados por meio do planejamento estratégico. Mas, segundo Lopes, podem ser criados padrões para todas as áreas do hospital, do assistencial ao backoffice.

Ciclo

O gestor continua essencial na condução do planejamento estratégico após a elaboração. Isso ocorre, segundo o coordenador do São Camilo, porque é ele quem irá colher o feedback e retornar sempre ao primeiro passo, de maneira cíclica, a fim de aprimorar constantemente a metodologia. “O planejamento estratégico é um ato de gestão administrativa, ou seja, sua execução tem importância para todos os departamentos hospitalares e só funciona se for feito com a participação de todos, mas com a condução dos líderes”, ressalta Lopes.

Esse processo, quando realizado de forma madura, permite às organizações de Saúde melhorias tanto na qualidade da assistência prestada ao paciente quanto na gestão das contas hospitalares. “O planejamento estratégico dá ao líder a clareza do que é preciso fazer para alcançar os objetivos traçados pela empresa. Sem ele tudo é feito de forma instintiva, sem integração interdepartamental, com cada funcionário atuando de maneira a cumprir somente o seu trabalho, sem pensar no impacto que este terá na condução do negócio como um todo”, explica Aimar.

Tanto implantar quanto conduzir o planejamento estratégico dependem da maturidade de gestão hospitalar. É a evolução dela que irá auxiliar os gestores para que o hospital chegue ao equilíbrio entre a qualidade do atendimento ao paciente e os recursos finitos – um dos maiores desafios de gestão da atualidade.

Saiba mais:

Ebook: O perfil do líder que conduz à maturidade de gestão hospitalar

Hospital: como o planejamento estratégico eleva receita sem ampliar investimentos

Swot, BCG e 5 Forças de Porter como estratégia empresarial no hospital

Foto: Depositphotos


26 de setembro de 2017 | Atualizado dia 26 de setembro de 2017


ÚLTIMAS POSTAGENS

Governança Corporativa

A contramão do quartel na governança corporativa da gestão hospitalar

Para vencer as batalhas cotidianas do setor de Saúde, equipes precisam de comandantes maduros por Anderson Freitas Sempre se fala…Leia mais.

Tecnologia de Gestão

Como o gestor deve encarar as inovações tecnológicas na Saúde?

Líder deve estar preparado e ter maturidade de gestão para conduzir a transformação digital por André Farias Com a evolução…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Como o jurídico pode participar e contribuir com a gestão de organizações de Saúde

Com intensa regulação do setor, departamento deve ter ação diferenciada e estratégica para fazer a diferença nos hospitais por Agnaldo…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos