Voltar

O papel do RH na maturidade de gestão hospitalar

Capacitação, gestão horizontalizada e convívio harmônico de gerações engaja colaboradores

 

Por editorial GesSaúde

 

O caminho para a maturidade da gestão hospitalar passa, invariavelmente, pelo investimento em capacitação dos gestores e do time. Metodologias de gestão de pessoas, quando bem conduzidas, resultam  em melhoria de desempenho e resultados que elevam a organização ao rol de referência.

A gestão de pessoas é o processo de associação entre as habilidades e métodos dos colaboradores da empresa com as políticas, técnicas e práticas definidas por seus administradores e stakeholders, com o objetivo de melhor gerir os comportamentos internos e potencializar o capital humano dentro do ambiente hospitalar. Um exemplo desse entendimento é o Hospital São Rafael, em Salvador (BA), que estimula a capacitação das “pessoas alinhadas com a visão e missão da organização e  conhecedoras de metodologias que ajudem nos processos de negócios”, segundo Jaime Nogueira da Gama, assessor estratégico do hospital.

Humanizar relações

De acordo com Gama, a palavra ”departamento” vem perdendo a sua força sob a ótica da maturidade, não somente na gestão hospitalar, como também na maioria dos segmentos de negócio. Sistemas puramente hierárquicos ou verticais estão evoluindo para sistemas matriciais. A “vertical” desses sistemas está pautada no organograma, vital pelo seu caráter orientador. A “horizontal” é representada pelos processos de negócios que “navegam” ponta a ponta ao longo da organização, sempre cruzando as verticais – diretorias e gerências. A união de ambas compõe a estrutura matricial.

Dentro desta abordagem, a área de Recursos Humanos (RH) ganha mais espaço na formação dos times de trabalho, que devem contar com a definição de papéis e competências de pessoas cujas habilidades de liderança e gestão, proatividade e mente conectada com as últimas tendências do segmento, sejam acentuadas. Com esta base, o RH impulsiona uma visão sistêmica, ajudando a organização a atingir um patamar maduro de gestão com um time engajado nesse propósito.

Essa gestão tem a função de humanizar as empresas por meio da participação, capacitação, envolvimento, comprometimento e desenvolvimento dos seus colaboradores, trazendo uma maior integração entre os envolvidos nos processos rotineiros, o que concede eficiência e eficácia rumo à maturidade da gestão hospitalar.

Turnover  X engajamento

Apostar na formação de times alinhados minimiza o turnover, ou seja, a rotatividade constante de colaboradores na empresa,  que impede a manutenção do trabalho na busca pela excelência da gestão. Um alto índice de turnover pode trazer problemas para o hospital, que deve ir ao mercado em busca de novos colaboradores e, por não ter um time estabelecido, não consegue concretizar seus projetos.

Uma das causas mais frequentes da rotatividade é o choque de gerações, que deve ser fomentado com a elaboração de trabalhos em equipe, com a aplicação de treinamentos e cursos de capacitação.

Com novas gerações ganhando mais espaço no mercado, essa diretriz torna-se uma constante.  “A Geração Y é mais inquieta e sempre está buscando algo novo em sua carreira. Isso acaba passando a ser uma característica de todo o mercado”, afirma Gama.

Diante de um mercado cada vez mais competitivo e de rápidas mudanças tecnológicas, cabe aos gestores de hospitais o trabalho de tornar a organização mais focada no capital humano.

 


18 de Maio de 2017 | Atualizado dia 18 de Maio de 2017


ÚLTIMAS POSTAGENS

Governança Corporativa

A contramão do quartel na governança corporativa da gestão hospitalar

Para vencer as batalhas cotidianas do setor de Saúde, equipes precisam de comandantes maduros por Anderson Freitas Sempre se fala…Leia mais.

Tecnologia de Gestão

Como o gestor deve encarar as inovações tecnológicas na Saúde?

Líder deve estar preparado e ter maturidade de gestão para conduzir a transformação digital por André Farias Com a evolução…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Como o jurídico pode participar e contribuir com a gestão de organizações de Saúde

Com intensa regulação do setor, departamento deve ter ação diferenciada e estratégica para fazer a diferença nos hospitais por Agnaldo…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos