Voltar

Planejamento empresarial: desdobrando metas em objetivos estratégicos

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Apoio de metodologias como BSC e 5W2H promove visão sistêmica sobre desafios e objetivos da instituição e distribui, entre todos, responsabilidades para atingir os objetivos

por editorial GesSaúde

Hospitais são organizações complexas, inseridas em um ambiente que se torna, progressivamente, mais competitivo, desafiador e impactado pelo avanço da tecnologia. Nesse contexto, o planejamento empresarial é um processo decisório que reflete a maturidade de gestão hospitalar e busca compatibilizar os legítimos interesses da organização, dos clientes, dos colaboradores e dos outros grupos envolvidos no cuidado da saúde.

Hospital: saiba como elaborar o planejamento estratégico

De acordo com Marcelo Esteves, docente dos cursos de pós-graduação de administração hospitalar e gestão da qualidade em organizações de Saúde do Centro Universitário São Camilo, houve uma mudança importante e recente no que é considerado como resultado para os hospitais. “Se antes os gestores precisavam fundamentalmente alcançar lucro ou superávit, agora a sustentabilidade exige também a consideração de aspectos sociais e ambientais. Ou seja, o grau de exigência sobre as organizações e seus líderes aumentou.”

“A velocidade, a intensidade e a imprevisibilidade das mudanças ambientais conduzem à necessidade de um contínuo monitoramento e adaptação da organização. Já não se pode mais aguardar a chegada de um novo ciclo de planejamento, tipicamente anual, para só então conferir resultados e promover as ações adaptativas necessárias. Esse processo contínuo é a administração estratégica, que deve ser incorporada ao pensamento e às atividades do gestor, independentemente do título do seu cargo ou sua posição na hierarquia”, avalia Esteves.

Metas e objetivos

Como parte da estratégia empresarial, missão, visão e valores da instituição devem ser referências para todos seus integrantes. São as pedras fundamentais e, ao mesmo tempo, os direcionadores para as decisões. Metodologias ajudam a desdobrar objetivos estratégicos gerais em metas departamentais e individuais, . Esteves cita o Balanced Scorecard (BSC), método desenvolvido pelos professores da Harvard Business School Robert Kaplan e David Norton, em 1992, que auxilia na implementação dos planos estratégicos.

Segundo o especialista, o BSC abrange as principais dimensões necessárias do negócio, de modo que as ações sejam coerentes, consistentes e encadeadas. “Com seu uso, os objetivos estratégicos de mais alto nível vão sendo progressivamente desdobrados em metas, até o nível individual  de cada um dos colaboradores. Cada pessoa saberá os resultados que esperam dela e poderá entender como cada um desses resultados contribui para os objetivos da instituição”, explica o professor do São Camilo.

A aplicação do método no planejamento empresarial do hospital dá origem a um mapa estratégico, que tem como objetivo facilitar a compreensão do encadeamento e das relações entre os principais pontos da estratégia e as metas individuais. O BSC ainda considera aquele que deve ser o principal foco de todo hospital: o cliente/paciente, seus interesses e expectativas em relação ao atendimento. Nele os vários papéis assumidos pelo cliente – tais como paciente, usuário, pagador, entre outros – podem ser trazidos e considerados, a fim de refletir na melhoria dos serviços prestados e, consequentemente, alcançar os objetivos estratégicos da organização.

O 5W2H é outra importante ferramenta de apoio. A sigla representa a resposta a sete perguntas: O  que será feito (What), por que (Why), onde (Where), por que quem (Who), quando (When), como (How) e a que custo (How Much). De acordo com o especialista do São Camilo, essa análise leva a uma checklist de atividades específicas que devem ser desenvolvidas com o máximo de clareza e eficiência por todos os envolvidos em um projeto.

“A utilização desses métodos auxilia os gestores do hospital a estabelecer metas quantitativas e verificáveis, prazos, responsáveis por cada processo, entre outros”, destaca Esteves. Com isso, a execução e a avaliação passam a ser muito mais focadas e objetivas, contribuindo mais efetivamente para o alcance dos objetivos estratégicos.

Saiba mais:

Fusões e aquisições como estratégia empresarial e o impacto sobre o paciente

O papel do gestor na condução do planejamento estratégico do hospital

A transformação digital vai, enfim, fazer dos hospitais instituições de Saúde

Foto: Freepik


31 de outubro de 2017 | Atualizado dia 16 de outubro de 2018


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão Hospitalar

Resultado e profissionalização da gestão, este é o nome do jogo na Saúde

É o momento de os hospitais avançarem na profissionalização dos processos de gestão para enfrentar as transformações que estão ocorrendo…Leia mais.

Gestão Hospitalar

Telemedicina ganha novas aplicações na Saúde Pública

Especialista ressalta que o uso da tecnologia e a comunicação virtual já são usados em diversos países Por Editorial GesSaúde…Leia mais.

Gestão Hospitalar

Líder de área e dono de processos: qual a diferença e importância na gestão

O papel e perfil de cada profissional é marcante na garantia de rotinas executadas de forma correta e na entrega…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos