Voltar

Transformação digital: prepare o hospital para essa onda

Tendência vai muito além da informatização e promete revolucionar a Saúde, mas é preciso maturidade de gestão para não morrer na praia

Roberto Gordilho

Eu tinha 20 e poucos anos quando notei que a informatização era uma onda avassaladora sobre o mercado corporativo. Fundei minha primeira empresa e, com mais alguns sócios, programava softwares durante as noites e, de manhã e à tarde, fazia reuniões com potenciais clientes. Todas essas conversas eram baseadas na seguinte premissa: “a questão não é se você vai se informatizar, mas quando“. Minha companhia foi a primeira da Bahia a ofertar soluções integradas de gestão empresarial (ERP).

Estava claro para mim, e eu fazia questão de deixar isso claro também para os clientes, que não havia jeito de voltar atrás. Quem não se adaptasse, em primeiro lugar, perderia chance de crescer. Contudo, à medida que o cenário fosse se consolidando, a ideia era se informatizar para não morrer – e muitos morreram.

Uma onda parecida com essa passa agora sobre nossas cabeças e afogará muitos desavisados – aqueles que ficam olhando somente para os próprios pés. Estou falando da transformação digital.

O cenário não é o mesmo de há 30 anos, quando a informatização trazia fortemente o conceito de automação de processos para ganho de eficiência. Por mais que muito fornecedor fique com os pelos da nuca eriçados, na iminência de vender mais soluções de TI, não é disso que se trata. A transformação digital traz consigo uma revolução na forma de pensar o negócio. E, na Saúde, está intimamente ligada à evolução da maturidade de gestão hospitalar.

Apenas comprar mais software não vai resolver. Isso é discurso de vendedor.

Obviamente que o item tecnologia é muito importante nesse processo, mas os pilares pessoas e processos fecham a composição do tripé, que deve ser gerido por líderes que estejam dispostos a extrair da digitalização do hospital processos mais seguros e um negócio que tenha o paciente no centro. Ele, o paciente, é o rei – e não mais apenas os diferenciais de gestão ou de equipamentos do hospital.

E a transformação digital só é efetiva com a gestão madura. Esses dois movimentos ocorrem, então, de mãos dadas, porque ambos pressupõe revisão de  processos, governança corporativa, gestão de pessoas, tecnologia e a estratégia empresarial como um todo.

Uma coisa é automatizar processos de baixa inteligência. Outra é usar a tecnologia para colher dados e identificar padrões que permitam uma mudança processual e gerencial que realmente transforme a forma de operar e se relacionar com o cliente (paciente). A transformação digital permite identificar gargalos, pontos de melhoria, trabalhar questões de eficiência de uma forma não só ligada à operação, mas no sentido de qualidade global e segurança da informação, com o conceito do eletrônico fim a fim em  que o paciente está no centro.

Uma coisa, por exemplo, é um hospital que trabalha com processo de triagem e condução do paciente totalmente informatizado: a pessoa recebe uma senha assim que chega na recepção e tem todas as atividades e histórico integrados ao seu prontuário eletrônico do paciente (PEP). Isso tudo agrega muito valor e facilita o trabalho de todos. Mas ainda é automação de processos.

A transformação digital não melhora esse cenário, ela revoluciona. Pense  nos bancos: economizaram bilhões terceirizando o trabalho da boca do caixa para seu cliente. Nós efetuamos o pagamento de contas para eles sem cobrar nada por isso, apenas pela facilidade e conveniência do internet banking.  O mesmo ocorre com o varejo. Quanto ele não perdeu, ou ganhou,  desde que o e-commerce surgiu?

Agora, imagine um paciente chegando a um hospital previamente identificado pelo seu smartphone, com procedimentos já autorizados pela operadora do plano de Saúde, já tendo feito um primeiro contato, a distância, com seu médico, e com todas as informações de saúde disponíveis? E falo todas, afinal, com tantas pulseiras e gadgets que captam movimentos, temperatura, batimentos cardíacos e muito mais, monitorar nossa saúde vai fazer parte do dia a dia das instituições, e isso é muito mais que tratar doenças. Quanto uma mudança como essa não vai economizar em tempo de espera, equipe, e proporcionar qualidade de vida para as pessoas? Qual o impacto sobre a segurança do paciente? Parece cena de filme de ficção científica? Vai por mim: esse cenário é tão futurista hoje quanto era um ERP era na década de 1980.

Eu vejo, em um futuro próximo, as instituições efetivamente se transformarem em organizações de saúde, onde a prevenção e educação serão tão ou mais importantes que a cura. Essa é a verdadeira transformação digital.

E eu te pergunto: vai pegar essa onda ou vai se afogar?

Roberto Gordilho é fundador da GesSaúde, mestrando em administração, especialista em sistemas de informação, engenharia de software, desenvolvimento web e em finanças, contabilidade e auditoria, possui mais de 30 anos de experiência nas áreas de tecnologia e gestão, sendo 15 na área da Saúde.

Saiba mais:

Como evoluir a maturidade de gestão hospitalar com a transformação digital

Fusões e aquisições na Saúde: ou hospital amadurece a gestão, ou morre

Maturidade de gestão hospitalar: hospitais devem se juntar para sobreviver

Foto: Depositphotos


8 de agosto de 2017 | Atualizado dia 8 de agosto de 2017


ÚLTIMAS POSTAGENS

Governança Corporativa

A contramão do quartel na governança corporativa da gestão hospitalar

Para vencer as batalhas cotidianas do setor de Saúde, equipes precisam de comandantes maduros por Anderson Freitas Sempre se fala…Leia mais.

Tecnologia de Gestão

Como o gestor deve encarar as inovações tecnológicas na Saúde?

Líder deve estar preparado e ter maturidade de gestão para conduzir a transformação digital por André Farias Com a evolução…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Como o jurídico pode participar e contribuir com a gestão de organizações de Saúde

Com intensa regulação do setor, departamento deve ter ação diferenciada e estratégica para fazer a diferença nos hospitais por Agnaldo…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos