5 fatores que ajudam a tornar as instituições de assistência médica mais avançadas - GesSaúde
Voltar

5 fatores que ajudam a tornar as instituições de assistência médica mais avançadas

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Por Marcelo Lancerotti*
Instituições de assistência médica que conseguem atingir níveis máximos de eficiência em suas operações, na qualidade do atendimento e em um melhor controle de gastos, têm em comum uma combinação de recursos que contribuem significativamente para estes bons resultados. Em geral, são atributos que facilitam a tomada de decisões compartilhadas e, principalmente, ajudam a garantir que a assistência médica seja eficiente e efetiva, em alinhamento com as necessidades dos pacientes e, independente, de sua localização geográfica.

Alguns atributos são essenciais para que uma instituição de assistência médica seja considerada avançada e esteja no caminho certo para melhorar a sua efetividade clínica, o que inclui reduzir a variabilidade do cuidado por meio da consolidação de protocolos padrões. Nos Estados Unidos, por exemplo, de acordo com pesquisas, cerca de 38% do total das instituições de saúde tem prejuízos com procedimentos considerados desnecessários. Nesse sentido, destaco cinco fatores fundamentais para a modernização e eficiência dos processos:  

1 Alinhamento

Sistemas de informação robustos e combinados com análises avançadas podem ajudar na tomada de decisões assertivas e na obtenção de melhores resultados clínicos que beneficiam tanto as instituições de assistência médica, como pacientes. 

2 Paciente no centro do cuidado

Promover a educação em saúde e o diálogo entre pacientes e médicos ajuda a criar níveis elevados de engajamento. 

3 Evidência

A aderência a recomendações e melhores práticas de assistência médica universais são apontadas como protagonistas no aprimoramento do processo e resultados. 

4 Conhecimento

O aprendizado constante e apoiado em conhecimentos médicos baseado em evidências deve ser aplicado em todo o processo de cuidado, estendido para toda a comunidade científica e até mesmo aos próprios pacientes. 

5 Cultura

A cultura motiva e mobiliza equipes de cuidados prolongados a adotarem uma filosofia centrada no paciente e a firmarem um compromisso com qualidade, segurança e eficiência. 

As instituições de assistência médica que adotam essas premissas e se apoiam em recursos avançados de suporte à decisão clínica, alcançam maior efetividade clínica e reduzem os problemas que impactam negativamente o desempenho final dos resultados. Deste modo, a avanço certamente virá.   

Marcelo Lancerotti é Country Manager da Wolters Kluwer Health no Brasil, líder mundial em fornecimento de informações para profissionais e estudantes da área da Saúde. 

Leia também:

LGPD: Saúde será totalmente transformada pela nova lei

Process mining como ferramenta para aumentar a eficiência dos processos

O papel das lideranças frente às linhas de cuidado


5 de agosto de 2019 | Atualizado dia 5 de agosto de 2019


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

O plano de ação para organizações de Saúde

Ferramenta de acompanhamento do planejamento, o plano de ação é fundamental para atingir metas e objetivos Por Editorial GesSaúde Como…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Planejamento em Saúde: a importância de objetivos e metas bem definidas

Estabelecer metas, avaliar e metrificar resultados fazem parte do processo do planejamento em Saúde Por Editorial GesSaúde A operação dos…Leia mais.

Gestão da Saúde

Transformação digital na Saúde: como reduzir erros e ampliar a qualidade

Prontuário eletrônico, digitalização de informações e fim das prescrições em papel auxiliaram na conquista da certificação QMentum Internacional A prescrição…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos