Gestão da proximidade: quais os requisitos para um bom líder – GesSaúde
Voltar

Gestão da proximidade: quais os requisitos para um bom líder

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Especialista aborda a necessidade das organizações de Saúde investirem na gestão da proximidade para melhor engajamento das equipes

Por Editorial GesSaúde

Uma equipe coesa e engajada com os objetivos da instituição de Saúde é um dos fatores que auxilia a gestão a conquistar bons resultados operacionais. Nesse quesito, o papel do líder é fundamental para a fluidez do relacionamento entres os profissionais. A gestão da proximidade engloba técnicas que auxiliam o líder a conquistar a confiança e respeito dos liderados. Esse será um dos temas abordados por Jairo Martiniano, especialista em liderança e motivação e master coach pela Sociedade Latino Americana de Coach, durante o II Congresso de Maturidade de Gestão da Saúde, que acontece no dia 24 de outubro, em São Paulo.

 

De forma dinâmica e descontraída, o especialista vai abrir a rodada de palestras com o stand up corporativo “Liderança como instrumento de transformação”. Conforme Martiniano, a gestão da proximidade ainda é um desafio para lideranças de diversas organizações de Saúde. A estratégia é fundamental para a construção de um time de alta performance e aliada aos valores da instituição. “Uma equipe bem qualificada não significa apenas ter profissionais capacitados. O líder tem de buscar pessoas cujos valores têm intersecção com os do hospital”, comentou o coach.

A proximidade com os liderados deve ser permeada pelo respeito, admiração e credibilidade. “São características que não se conquistam apenas com formação acadêmica. Esses valores devem fazer parte de forma natural do perfil do líder. Ele tem de compartilhar experiências, se aproximar humanamente dos colaboradores, seja no happy hour ou no cafezinho da pausa do expediente”, reforçou Martiniano. A gestão da proximidade, ainda conforme o coach, faz parte da cultura profissional das lideranças. “As pessoas não podem ter medo do líder, mas sim respeito. As pessoas têm de se identificar humanamente com o líder.”

Sucessão

Outro fator importante para a gestão da proximidade é a escolha do sucessor e a compreensão desse conceito por parte da liderança. “Dentro de uma organização de Saúde o líder deve buscar em seu time o profissional que mais se assemelha aos seus valores e atitudes. É importante que as lideranças saibam preparar alguém para sucedê-las, pois isso faz parte do mercado”, comentou Martiniano. O especialista explica que o sucesso de um bom líder está em saber escolher e preparar um profissional para sucessão. “As pessoas mudam de cargo e postos de trabalho. É algo comum. Mas um bom líder não abandona a equipe sem um sucessor que vai manter o trabalho que vem sendo realizado”, sustentou.

O congresso

O II Congresso Brasileiro de Maturidade de Gestão Hospitalar é uma iniciativa da Comunidade Maturidade de Gestão e ocorre no dia 24 de outubro no Hotel Novotel Jaraguá Conventions, localizado na Rua Martins Fontes, nº 71 Centro. Ingressos e mais informações estão disponíveis no site do evento: https://www.congressomatgestao2019.com/

Leia também:

Process mining: maximização de resultados acontece em dois meses

Acreditações tornam hospitais referências em serviços de Saúde

Conheça 4 aspectos importantes para uma estratégia de empoderamento dos colaboradores


1 de outubro de 2019 | Atualizado dia 1 de outubro de 2019


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

Hospital digital: revisão de processos deve ser feita antes de investir em tecnologia

Santa Casa da Bahia conquista HIMSS nível 7 e aumenta segurança dos pacientes e da informação armazenada pelo hospital Por…Leia mais.

Gestão da Saúde

Conheça os 4 desafios da LGPD para as organizações de Saúde

Especialista alerta que instituições de Saúde brasileiras têm prazo curto para se adaptarem à nova legislação Por Editorial GesSaúde A…Leia mais.

Gestão da Saúde

7 estratégias para aumentar a eficiência do gerenciamento de leitos

Elaborar um bom planejamento para o gerenciamento de leitos pode garantir qualidade na taxa de ocupação hospitalar Por Priscilla Martins*…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos