Gestão hospitalar: textos mais lidos de 2018 - GesSaúde
Voltar

Gestão hospitalar: textos mais lidos de 2018

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Portal GesSaúde é destaque em informações relevantes para gestores do setor

Por Editorial GesSaúde

A tempestade perfeita pela qual a Saúde passa está longe de se encerrar. Em 2018, hospitais foram vendidos, fecharam as portas ou se viram em dificuldades e mudanças no modelo de negócio. São indícios de uma transformação que está afetando todo o setor de Saúde – é que deixou de ser apenas uma tendência para se tornar impreterível para a sobrevivência das organizações.

Esses e outros temas foram discutidos ao longo do ano no Portal GesSaúde, e também durante o I Congresso Brasileiro de Maturidade de Gestão na Saúde, que aconteceu no dia 1° de dezembro em São Paulo. O fim do reajuste de insumos, a combinação de tecnologia e processos na gestão hospitalar e outros assuntos do dia a dia dos hospitais geraram grande interesse ao longo de 2018.

Aproveite para reler os 10 conteúdos mais acessados aqui:

Simpro e Brasíndice: hospitais ficam em risco com o fim do reajuste de insumos:

O movimento de fornecedores que optaram por não divulgar mais os valores dos insumos nessas revistas eletrônicas deixou gestores hospitalares em alerta. Advogada deu dicas de como proceder ao firmar contratos com as operadoras de Saúde.

Em oito anos fecharam quase 1800 hospitais no Brasil. Por que os hospitais estão morrendo?

Entre 2010 e 2018 1.797 hospitais privados fecharam no Brasil. No período, o País também perdeu total de 31,4 mil leitos. Os dados foram divulgados pelo relatório “Cenário dos Hospitais no Brasil 2018”, da Federação Brasileira de Hospitais (FBH) em parceria com a Confederação Nacional de Saúde (CNS).

A grande revolução na Saúde é combinar tecnologia, processos e pessoas

Artigo autoral do CEO da GesSaúde, Roberto Gordilho, em que a discussão central é o modelo de gestão que envolve os três pilares fundamentais na condução de um hospital: tecnologia, processos e pessoas. Investir em equipamento também exige que o gestor capacite os colaboradores e os motive a executar os processos com a compreensão de todo o funcionamento da organização de Saúde.

Gerenciando médicos: reflexões sobre os papéis de diretor técnico e diretor clínico

Em artigo autoral, Alexandre Bomfim, médico e consultor da Papaia Azul Gestão em Saúde, explica a importância dos cargos de diretor técnico e diretor clínico. Essas figuras têm tanto destaque no hospital que existe uma resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) esclarecendo seus papéis, a 2147/16, publicada em 27 de outubro de 2016.

Plano terapêutico: todo paciente merece um para chamar de seu

O médico Alexandre Bomfim novamente aborda tema de destaque para o gerenciamento hospitalar: o plano terapêutico. No artigo o especialista explica a importância desse plano para o cliente.

Faturamento hospitalar: um departamento ou um processo?

Conteúdo informativo sobre a diferença entre a visão departamental e processual do faturamento hospitalar e os respectivos benefícios para a organização de Saúde.

Desafios da Saúde: novos modelos de remuneração

Discute a falência do modelo de pagamento por serviço executado (fee-for-service) e a necessidade de os hospitais adotarem novos modelos para minimizar as perdas financeiras e melhorar a qualidade do atendimento ao cliente.

Como reduzir a incidência de erros médicos por medicação e os impactos financeiros

O executivo da Wolters Kluwer Helth, Wilson Lemes, aponta os principais prejuízos para o hospital e paciente advindos dos erros médicos por medicação e como reduzi-los.

Saiba como elaborar o planejamento estratégico

O planejamento estratégico é o pensamento sistêmico estruturado, organizado para que uma instituição alcance os objetivos previamente traçados. Para o hospital, que também deve ser visto como um negócio, é essencial para que se chegue ao equilíbrio entre a qualidade do atendimento ao paciente e os recursos finitos. Afinal, saúde não tem preço, mas tem custo.

Gerenciamento de processos hospitalares: saiba quando fazer a revisão

Planejar, executar e revisar os processos é a forma mais segura de manter o negócio na esteira dos objetivos, além de garantir a melhor qualidade no serviço prestado ao cliente.

Para saber mais sobre esses e outros assuntos, acesse o portal GesSaúde: www.gessaude.com.br.

 


27 de dezembro de 2018 | Atualizado dia 27 de dezembro de 2018


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

O plano de ação para organizações de Saúde

Ferramenta de acompanhamento do planejamento, o plano de ação é fundamental para atingir metas e objetivos Por Editorial GesSaúde Como…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Planejamento em Saúde: a importância de objetivos e metas bem definidas

Estabelecer metas, avaliar e metrificar resultados fazem parte do processo do planejamento em Saúde Por Editorial GesSaúde A operação dos…Leia mais.

Gestão da Saúde

Transformação digital na Saúde: como reduzir erros e ampliar a qualidade

Prontuário eletrônico, digitalização de informações e fim das prescrições em papel auxiliaram na conquista da certificação QMentum Internacional A prescrição…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos