Hospital: 5 tecnologias de gestão essenciais na era da transformação digital - GesSaúde
Voltar

Hospital: 5 tecnologias de gestão essenciais na era da transformação digital

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Investir em ferramentas para transformar dados em informações para tomada de decisão depende também de papel estratégico da TI

por editorial GesSaúde

A transformação digital pede modernização das tecnologias de gestão dos hospitais. É necessário investir em ferramentas que sirvam de apoio à execução dos processos e entrega dos resultados. Mas, antes de adquiri-las, deve-se planejar e entender de que forma cada inovação poderá ajudar na entrega de um atendimento de qualidade ao paciente.

4 passos cruciais para maximizar o investimento em TI no hospital

Uma das tecnologias essenciais para alcançar esse propósito é um sistema de gestão hospitalar (Enterprise Resource Planning – ERP). Em geral, hospitais informatizados já contam com a ferramenta, porém, muitas vezes não há integração entre ela e os demais softwares, tais como o Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), Sistema de Arquivamento e Comunicação de Imagens (Picture Archiving and Communication System – PACS) e Sistema de Informações de Radiologia (Radiology Information System – RIS), entre outros. Com a interoperabilidade interna, é possível armazenar todos os dados e processos da organização – incluindo assistência e backoffice – em plataforma única. Isso não só facilita o acesso como também a análise dessas informações.

Com dados organizados e integrados, é possível aplicar a segunda tecnologia essencial para o hospital que quer alcançar a maturidade de gestão hospitalar: Business Intelligence (BI). Essa ferramenta é capaz de coletar, organizar, analisar, compartilhar e monitorar informações que oferecem suporte à gestão de negócios. Conceitualmente, trata-se do conjunto de teorias, metodologias, processos, estruturas e tecnologias que transformam uma grande quantidade de dados brutos em informação útil para tomada de decisões estratégicas. Na prática, é a ferramenta que ajuda, por exemplo, na identificação de possíveis gargalos nos processos que, solucionados, podem otimizar os resultados.

As tecnologias de analytics trazem mais recursos de preditividade, possibilitando traçar cenários futuros por meio da análise dos dados com raciocínio sistemático. Dessa forma, amplia-se a possibilidade de seu uso para conduzir a um processo de tomada de decisão ainda mais eficiente. A indicação é o uso de BI e analytics em complementaridade.

Ambas as ferramentas estão relacionadas ao big data, a quarta tecnologia de gestão essencial para o hospital que quer entrar de vez na era da transformação digital. Ele representa o grande volume de dados, gerados pelas mais diversas fontes, estruturados ou não, e que, ao serem analisados, são revertidos em informações estratégicas para os negócios.

A computação cognitiva, por sua vez, trata-se de plataforma de apoio ao diagnóstico que utiliza tecnologia cognitiva e inteligência artificial para analisar todas as informações sobre um paciente, seu histórico familiar e estilo de vida para, baseada em evidências, indicar prevenção ou tratamento a doenças.

Essas tecnologias de gestão estão em constante evolução e, daqui a poucos anos, podem aparecer outras necessidades, a depender do perfil de cada instituição. O que não haverá mais é um hospital sem o apoio de ferramentas digitais em seus processos, pois este não será capaz de enfrentar o competitivo e exigente mercado de Saúde dos próximos anos.

Estratégia

A transformação digital exige que o departamento de TI assuma papel estratégico nas organizações de Saúde. A área deverá contar com profissionais que garantam o funcionamento operacional do parque tecnológico, mas também com aqueles que sejam especialistas em TI e negócios, capazes de decodificar a enorme quantidade de dados gerada e transformá-la em insights que poderão ser trabalhados pelos demais profissionais.

São esses profissionais – com conhecimento não apenas de tecnologia, mas também de gestão  e do negócio – que vão identificar padrões que permitam uma mudança processual e gerencial que transformará a forma de trabalhar. A união de TI e gestão permitirá que o hospital não trate apenas doenças, mas entregue mais saúde e qualidade de vida aos seus pacientes.

Saiba mais:

Tecnologias de gestão e a importância da atualização do parque hospitalar

TI estratégica para evoluir a maturidade de gestão hospitalar

Big data: como a tecnologia ajuda a melhorar a Saúde

Foto: Depositphotos


23 de novembro de 2017 | Atualizado dia 15 de janeiro de 2020


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

Gestores extraordinários: o passo a passo para o sucesso

Roberto Gordilho apresenta curso inovador para todos que ocupam ou querem ocupar cargos de gestão e se tornarem gestores extraordinários…Leia mais.

Gestão da Saúde

Maturidade de gestão: vídeos mais acessados de 2019

Roberto Gordilho apresenta os conceitos mais relevantes para a maturidade de gestão na Saúde no canal GesSaúde do Youtube Por…Leia mais.

Gestão Hospitalar

Gestão hospitalar: 10 artigos mais lidos do Portal GesSaúde

2019 foi um ano de transformações na Saúde em que os principais conceitos de gestão hospitalar foram fundamentais para os…Leia mais.

Gestão da Saúde

Ação imediata: entenda como o gestor pode usar essa estratégia

Plano de ação imediata é uma ferramenta de correção de erros a fim de antever cenários e determinar a melhor…Leia mais.

Gestão da Saúde

O plano de ação para organizações de Saúde

Ferramenta de acompanhamento do planejamento, o plano de ação é fundamental para atingir metas e objetivos Por Editorial GesSaúde Como…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Planejamento em Saúde: a importância de objetivos e metas bem definidas

Estabelecer metas, avaliar e metrificar resultados fazem parte do processo do planejamento em Saúde Por Editorial GesSaúde A operação dos…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos