Maturidade de gestão hospitalar: reversão de fraquezas gerenciais - GesSaúde
Voltar

Maturidade de gestão hospitalar: reversão de fraquezas gerenciais

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Como aumentar a eficiência diminuindo problemas recorrentes e investindo em uma gestão mais eficaz

Por editorial GesSaúde

Cada vez que uma instituição de Saúde identifica suas fraquezas e procura melhorá-las, investindo no fortalecimento de sua gestão, está ao mesmo tempo aumentando a força de seus serviços e da entrega do produto final, que é um melhor atendimento ao seu paciente. Saber trabalhar esse processo de forma responsável e eficaz é o caminho para alcançar a maturidade de gestão hospitalar.

Os primeiros passos neste caminho são identificar onde a instituição está em matéria de gestão e definir onde se quer chegar e, para isso, é importante a realização ou a atualização do planejamento estratégico e a elaboração de um plano empresarial.

Plano estratégico

Uma vez definido o posicionamento estratégico, que permite a instituição identificar forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, a organização poderá traçar  metas, definir indicadores e  elaborar o orçamento para acompanhar esses objetivos. Depois desse processo,  é hora de focar na identificação e solução dos problemas que geram ineficiência e desviam do caminho desejado.

Um planejamento só é válido se tiver acompanhamento, por isso é importante haver reuniões mensais de acompanhamento de resultados, capazes de acompanhar os indicadores, realizar as avaliações e definir ações para realinhar a operação em direção aos objetivos definidos.

Acompanhar indicadores é acima de tudo um ato de disciplina, porque, mais do que ter indicadores para tudo, a instituição de Saúde precisa se perguntar se eles são os  indicadores que a instituição precisa, se estão alinhados ao plano estratégico,  se são avaliados de forma sistemática e se as ações são tomadas em caso de identificação de resultados fora do desejado.

Ter indicadores e não avaliá-los é pior que não tê-los, pois gastou-se tempo na elaboração e na coleta dos dados, e este esforço deve ser avaliado de forma sistemática e periódica para reorientar as ações.

Revisão de processos

Apesar das instituições de Saúde usarem sistemas informatizados de gestão para otimizar seus processos, não é raro eles terem sido elaborados em épocas passadas e precisarem ser revisados e incorporados com as boas práticas atuais. Feito isso, haverá uma tendência maior em ganhar eficiência, reduzir desperdícios, melhorar a qualidade do atendimento e a segurança dos pacientes, além de atingir um aumento no faturamento.

Uma questão importante a ser considerada na revisão dos processos é a busca de um alinhamento completo da operação para entregar os objetivos e metas traçados, que pode também ser feito nas reuniões de monitoramento do plano estratégico.

Reduzindo fraquezas, aumentando forças

A identificação de problemas e a procura por resolvê-los é o tema da 26º edição do Congresso de Presidentes, Provedores, Diretores e Administradores Hospitalares de Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo (Fehosp), realizado entre os dias 2 e 5 de maio em Atibaia, no interior de São Paulo. Com o tema “Interdependência: reduzindo fraquezas, aumentando forças”, o encontro é palco para discussão sobre a necessidade de interação das Santas Casas e hospitais beneficentes com os governos municipais, estaduais, federal e com a comunidade.

Segundo Roberto Gordilho, diretor da GesSaúde, além da busca por soluções externas através da interação com os diversos níveis de governo, é importante as instituições olharem para dentro, para identificar e buscar soluções para problemas internos que geram desperdícios, perdas de faturamento, custos desnecessários, aumento do ciclo de faturamento e outros que estão ao alcance dos gestores e, em geral, não dependem de agentes externos para sua solução.


5 de Maio de 2017 | Atualizado dia 18 de janeiro de 2020


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

Gestores extraordinários: o passo a passo para o sucesso

Roberto Gordilho apresenta curso inovador para todos que ocupam ou querem ocupar cargos de gestão e se tornarem gestores extraordinários…Leia mais.

Gestão da Saúde

Maturidade de gestão: vídeos mais acessados de 2019

Roberto Gordilho apresenta os conceitos mais relevantes para a maturidade de gestão na Saúde no canal GesSaúde do Youtube Por…Leia mais.

Gestão Hospitalar

Gestão hospitalar: 10 artigos mais lidos do Portal GesSaúde

2019 foi um ano de transformações na Saúde em que os principais conceitos de gestão hospitalar foram fundamentais para os…Leia mais.

Gestão da Saúde

Ação imediata: entenda como o gestor pode usar essa estratégia

Plano de ação imediata é uma ferramenta de correção de erros a fim de antever cenários e determinar a melhor…Leia mais.

Gestão da Saúde

O plano de ação para organizações de Saúde

Ferramenta de acompanhamento do planejamento, o plano de ação é fundamental para atingir metas e objetivos Por Editorial GesSaúde Como…Leia mais.

Estratégia Empresarial

Planejamento em Saúde: a importância de objetivos e metas bem definidas

Estabelecer metas, avaliar e metrificar resultados fazem parte do processo do planejamento em Saúde Por Editorial GesSaúde A operação dos…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos