Voltar

Modelos de Atenção Primária à Saúde e seus benefícios para o hospital

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Mudar a cultura da gestão e focar para a promoção à saúde de qualidade e preventiva pode ser uma das formas de diminuir custos

Por Editorial GesSaúde

O modelo de Atenção Primária à Saúde (APS) é uma das estratégias para atender a população de forma regionalizada e integrada, com objetivo de ampliar os serviços de Saúde, melhorar o atendimento e prevenir enfermidades. De acordo com o Sistema Único de Saúde (SUS), o APS já está sendo praticado em conjunto a Saúde Suplementar – conforme o Ministério da Saúde, os 100 primeiros dias da nova gestão presidencial do País foram marcados pelo fortalecimento da Atenção Primária, com a criação da Secretaria de Atenção Primária à Saúde (SAPS).

Além dos benefícios aos pacientes, para as organizações de Saúde o APS representa uma forma de reduzir custos, ao ponto que oferecer serviços de prevenção pode refletir na redução de atendimentos de alta complexidade, por exemplo. A pedido do portal GesSaúde, as docentes da Universidade Cruzeiro do Sul Andréia de Carvalho Andrade, Déborah Elaine Caristo Farias e Rosiani Cassia Ribeiro Castro, explicaram algumas das vantagens desse modelo e também alertaram para a necessidade do aumento da maturidade de gestão hospitalar nas instituições que pretendem aplicar a metodologia.

Conforme o grupo de especialistas, a Atenção Primária pode ser dividida nos seguintes grupos:

  • Modelo Sanitarista –  por meio das campanhas de prevenção como ocorrem atualmente;
  • Modelo Assistencialista – que se desenvolve pela Estratégia de Saúde da Família que, conforme as docentes, ainda se encontra em crescimento no País;
  • Modelo Alternativo – com a atuação da vigilância sanitária e epidemiológica.

As professoras salientaram que tais modelos são necessários não apenas para prevenir doenças, mas, como consequência disso, promover a sustentabilidade financeiras dos serviços de Saúde. Contudo, uma mudança na cultura organizacional será necessária, permitindo que a organização de Saúde faça parte de uma rede rede de atenção pré e pós-hospitalar tornando a atividade horizontal e permitindo que o hospital seja acionado apenas em casos críticos – sua operação será voltada para a prevenção e promoção à saúde de qualidade.

Juntamente com outras metodologias de gestão, como a de Saúde Populacional, é possível ao hospital garantir equilíbrio financeiro em conjunto com qualidade assistencial e preparo para atender grupos distintos da sociedade. Por exemplo, as docentes ressaltam o envelhecimento da população e com a APS é possível oferecer assistência preventiva, o que impacta diretamente na redução de gastos com enfermidades complexas.

Saiba mais:

Hospitalar 2019: novos cenários para a Saúde

A contribuição do Jurídico para a tempestade perfeita que se forma na Saúde brasileira

5 estratégias de Gestão de Saúde Populacional para hospitais


25 de abril de 2019 | Atualizado dia 25 de abril de 2019


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

Remuneração por valor: maior segurança para o paciente e para o negócio

Especialista explica como as organizações de Saúde podem se beneficiar de novos modelos de remuneração Por Editorial GesSaúde Os custos…Leia mais.

Gestão da Saúde

Programa Formação de Gestores da Saúde vai contribuir para alavancar a carreira dos gestores da Saúde

A gestão da Saúde está passando por grandes transformações e os profissionais mais preparados vão aproveitar as novas oportunidades de…Leia mais.

Gestão da Saúde

Roberto Gordilho lança Formação de Gestores da Saúde para transformar excelentes técnicos em gestores extraordinários

A gestão da Saúde está passando por transformações e os profissionais mais preparados vão ter as melhores oportunidades de carreira…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos