Voltar

Novas tecnologias transformam relação entre organizações de Saúde e clientes

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Desafio dos gestores é utilizar recursos tecnológicos para manter a eficácia e qualidade dos serviços prestados

Por Editorial GesSaúde

As novas tecnologias mudaram a interação entre clientes e organizações de Saúde. Um novo perfil de usuário surge com a era digital, na qual a velocidade das transformações e a convergência de ferramentas tecnológicas ampliam o acesso a informações, serviços de promoção e melhoria da qualidade de vida. Diante desse cenário, especialistas ressaltam a importância de as organizações de Saúde estarem atentas às novas formas de relacionamento e às soluções disponíveis para manter a qualidade da assistência e garantir a sustentabilidade do negócio. 

 

Esses são alguns dos temas que, a pedido do Portal GesSaúde, foram aprofundados por Rodrigo Chechetto, chefe de enfermagem do centro médico Consulta Aqui, e Davi Conte Lopes, gerente de tecnologia da informação da operadora de Saúde da companhia. Os especialistas explicam que, em um cenário de transformação digital, torna-se importante para a gestão da Saúde o conhecimento sobre as possibilidades fornecidas pelas novas tecnologias. “A tecnologia traz novas e melhores maneiras de realizar os processos, com práticas diferenciadas que apresentam melhores resultados”, comentaram os executivos, ao reforçarem que o gestor moderno “deve ter um nível alto de maturidade, ser conhecedor de todo processo e buscar melhorias por meio da tecnologia. As novas gestões devem ser adeptas à tecnologia, abertas à inovação e às novas visões. O modelo está em transição”, garantem.

Acessibilidade

Chechetto e Conte explicam que as novas tecnologias mudaram as relações sociais e também a forma de relacionamento entre clientes e diversos setores do mercado. O novo perfil do cliente é de alguém mais preocupado e consciente da própria saúde. Por isso, ele procura não apenas por serviços de promoção à qualidade de vida, mas também por facilidades e acesso ao atendimento. 

“As pessoas desejam informações em tempo real, facilidades de acesso, atendimento rápido e praticidade, como acesso ao histórico. Desejam facilidade em agendar um exame ou consulta em uma melhor data e horário, ou a disponibilidade de um laudo pela internet. As ligações ficaram fora de uso, é muito mais prático e rápido pesquisar em um site ou aplicativo, a informação se tornou uma ferramenta importante para apoio na escolha de um atendimento ou agendamento”, reforçaram os especialistas.

Operação

Tendo em vista as necessidades desse novo perfil de cliente, as organizações de Saúde devem buscar nas novas tecnologias formas de ampliar o acesso aos serviços. “É uma tendência atual ter um estilo de vida mais saudável. A conscientização tornou-se maior, porém, as pessoas procuram facilidades e comodidades. Quem oferecer tudo isso terá vantagens”, salientaram os executivos. 

E uma das formas de se alcançar esse desafio operacional é, ainda de acordo com os especialistas, ampliar o acesso às informações e melhorar a flexibilidade de serviços com horários, competência e rapidez, além de alinhar a tecnologia às melhores práticas de mercado no menor tempo possível.

Leia também:

Certificações e acreditações atestam a qualidade das organizações de Saúde

Process mining como estratégia de melhoria da jornada do cliente

Estratégias de comunicação eficaz entre equipes e pacientes


20 de agosto de 2019 | Atualizado dia 27 de agosto de 2019


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

Conheça os 4 desafios da LGPD para as organizações de Saúde

Especialista alerta que instituições de Saúde brasileiras têm prazo curto para se adaptarem à nova legislação Por Editorial GesSaúde A…Leia mais.

Gestão da Saúde

7 estratégias para aumentar a eficiência do gerenciamento de leitos

Elaborar um bom planejamento para o gerenciamento de leitos pode garantir qualidade na taxa de ocupação hospitalar Por Priscilla Martins*…Leia mais.

Gestão da Saúde

Mudanças comportamentais ajudam a reduzir a variabilidade no cuidado

Por Marcelo Lancerotti* No Brasil, existe uma iniciativa instituída pela Resolução Normativa n° 440 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos