Voltar

Stand up corporativo: como transformar relações em resultados

Junte-se a mais de 15.000 profissionais de gestão da saúde.

Assine nossa lista e receba conteúdos com prioridade


Especialista em liderança e motivação promove reflexão sobre comportamentos e interações entre colaboradores de organizações de Saúde

Por Editorial GesSaúde

Você já ouviu falar de stand up corporativo? Pois o II Congresso Brasileiro de Maturidade de Gestão na Saúde terá a participação de Jairo Martiniano, especialista em liderança e motivação e master coach pela Sociedade Latino Americana de Coach. O palestrante profissional vai abrir o encontro justamente com um stand up corporativo, que une elementos de descontração e bom-humor associados a conteúdo de gestão e liderança. A palestra “Liderança como instrumento de transformação” vai abordar o perfil de novos líderes dentro de organizações de Saúde e como melhorar resultados por meio de mudanças nas relações entre profissionais.

 

O objetivo do painel, conforme Martiniano, é fazer com que os participantes reflitam sobre o comportamento em relação ao trabalho que executam. “Como vamos focar nas lideranças, o tema central é como transformar relações em resultados. É um tema bastante sugestivo e que engloba a maneira como as novas gerações de líderes podem trazer resultados que a organização de Saúde necessita. A gente parte do pressuposto de que não conseguimos mudar as pessoas. Temos que mudar a nós mesmos, entendendo que a nossa gestão tem de ser de parceria”, descreveu o palestrante. 

Para o especialista, dentro do hospital o perfil de liderança é desenvolvido a partir de dois pontos essenciais: credibilidade e respeito. “São qualidades que não são conquistadas por meio de títulos, como um pós-doutorado na Alemanha. As pessoas devem entender que estão na instituição para fazer com que cada um se desenvolva, e todos têm um objetivo em comum: entregar para a organização aquilo que ela precisa”, salientou. 

Martiniano ressalta que liderar e gerenciar são ações complementares e que devem ser trabalhadas pelo profissional levando em consideração os objetivos, missão e valores do hospital. “Costumo dizer que liderança é a arte de fazer com que as pessoas façam. Liderar não é apenas gerenciar. É trabalhar o planejamento, solução de problemas, desenvolvimento de estratégias para que as pessoas se sintam melhor. Trata-se de como criar um ambiente de trabalho em que todos os envolvidos estejam bem.” 

Com esse perfil de liderança, a organização sente os reflexos na entrega de resultados mais eficientes e em menor tempo. “É comum em algumas organizações de Saúde equipes de atendimento supereficientes, porém, seus membros mal se olham ou se cumprimentam durante a jornada. O paciente percebe esse relacionamento e não se sente bem com isso”, comentou Martiniano, exemplificando como a mudança de comportamento também é sentida pelo paciente. 

O Congresso

O II Congresso Brasileiro de Maturidade de Gestão Hospitalar é uma iniciativa da Comunidade Maturidade de Gestão e ocorre no dia 24 de outubro no Hotel Novotel Jaraguá Conventions, localizado na Rua Martins Fontes, nº 71 Centro. Ingressos e mais informações estão disponíveis no site do evento: https://www.congressomatgestao2019.com/

Leia também:

Saúde 4.0: o impacto da tecnologia na gestão hospitalar

Gestão de mudanças: a organização está preparada para melhorar a operação?

Times de resposta rápida: estratégia é voltada para aumentar a segurança do paciente


23 de julho de 2019 | Atualizado dia 23 de julho de 2019


ÚLTIMAS POSTAGENS

Gestão da Saúde

Certificações e acreditações atestam qualidade das organizações de Saúde

Uma instituição regida por normas oficiais obtém não apenas um diferencial mercadológico, mas também fornece confiança aos clientes Por Priscilla…Leia mais.

Gestão da Saúde

Process mining como estratégia de melhoria da jornada do paciente

Especialista apresenta as vantagens de aliar às novas tecnologias, como a inteligência artificial,  para um percurso assistencial mais orientado ao…Leia mais.

Gestão da Saúde

Estratégias de comunicação eficaz entre as equipes e pacientes

Times de atendimento precisam estar amparados por processos claros de comunicação e aproximar o paciente das informações transmitidas Por Priscilla…Leia mais.

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos